Beata Maria Catarina de Santo Agostinho

Beata Maria Catarina de Santo Agostinho

    Beata Maria Catarina de Sto Agostinho1

 

“Assim como eu vos amei.”

 

“Como eu vos amei”: esta é a regra do amor para os cristãos que se deixam por Cristo serem amados, para moldar todas as suas ações em sua infinita generosidade. Maria Catarina de Santo Agostinho foi animada por esse amor. Muito em breve, ela respondeu ao chamado do Senhor, de forma incondicional, humildemente fiel a todas as necessidades espirituais, da comunidade e de caridade apostólica que caracterizou a vida das Agostinianas Hospitalares da Misericórdia. Ela foi capaz de “estar à disposição de Deus e nada mais”.

 

Infância

 

Descendente de duas famílias nobres de Cotentin (França), Maria Catarina de Santo Agostinho, Catherine Simon de Longpré, nasceu e foi batizada a 3 de maio de 1632, em Saint-Sauveur-le-Vicomte, no atual departamento da Mancha, na França. Seu pai Jacques Simon de Longpré, era advogado e sua mãe, Francisca Jourdan de Launay, era filha de um lugar-tenente civil e penal.

A educação da menina foi confiada a seus avós maternos. Os Jourdan tinham em sua casa uma espécie de hospital onde recebiam e tratavam os pobres e os doentes. Catarina ali recebeu uma grande influência da parte de São João Eudes (1601-1680) e outros religiosos que frequentavam aquela Instituição.

Em 1642, num escrito assinado com o próprio sangue, ela consagrou-se à Santíssima Virgem. No ano seguinte fez três votos: tomar a Santíssima Virgem como mãe, não cometer nenhum pecado mortal e viver uma castidade perpétua.

 

O chamado de Deus

 

Seduzida pela vida religiosa, aos 12 anos Catarina entrou como postulante para o Hôtel-Dieu de Bayeux em 7 de outubro de 1644. Começou a aprender a profissão de enfermeira neste hospital, onde as religiosas Agostinianas Hospitalares da Misericórdia de Jesus davam assistência aos doentes.

Entrou no noviciado dessa Congregação e desde então ela concebeu o desejo de ir para o Canadá, onde as freiras Agostinianas Hospitalares da Misericórdia de Jesus tinham, em 1539, fundado o Hôtel-Dieu de Quebec. Quando estas pediram novas recrutas, Catarina ofereceu-se imediatamente. Ela ainda não havia completado dezesseis anos de idade.

Tentaram dissuadi-la e seu pai opôs-se ao seu desejo. Ela fez o voto “de viver e morrer no Canadá, se Deus lhe abrisse a porta deste país”. Todos foram forçados a ceder às suas razões e Catarina fez profissão religiosa a 4 de maio de 1648, em previsão do seu embarque, em 27 de maio. No dia 19 de agosto de 1648 ela chegou a Québec.

 

Dedicação ao próximo e apostolado

 

Madre Catarina de Santo Agostinho ia ser uma grande ajuda para o mosteiro e o hospital de Quebec. Ela progredira tanto na prática de todas as virtudes e na profissão de enfermeira, que aos 22 anos foi nomeada administradora da comunidade e do hospital. Assumiu depois a direção do hospital e foi escolhida para Conselheira da Superiora e Mestra de Noviças. Durante seu primeiro triênio como depositária, ela dirigiu a construção do novo Hôtel-Dieu.

Procurou aprender a língua dos indígenas a fim de poder ensinar-lhes o catecismo e encaminhá-los para Deus. O seu zelo e caridade não tinham limites. Humilde, simples e alegre, palmilhou rapidamente o caminho da santidade.

No entanto, esta jovem freira tão ativa esteve quase sempre doente. Ela esteve mais de oito anos com febre sem nunca acamar, sem reclamar, sem desistir à obediência, sem perder os exercícios da Comunidade. Não só não se queixava, mas ela estava sempre de semblante agradável e a sua ternura contínua causava a admiração de todos.

 

Humilde e Mística

 

A discrição de Catarina iludiu até mesmo suas irmãs sobre as suas disposições interiores. Considerou-se que, enquanto viva, ela se comportava simplesmente como uma boa religiosa, porque, com exceção do seu diretor e do seu bispo, ninguém sabia o que nela se passava. As riquezas da sua vida interior e as maravilhas místicas que o Espírito Santo operava na sua alma foram reveladas apenas depois de sua morte.

Conta-se sobre ela “coisas extraordinárias”: visões, revelações, constantes lutas contra os demônios. Ela teve a consolação de ver espiritualmente o Padre Jean de Brébeuf (1593-1649), jesuíta mártir no Canadá em 1649, proclamado Beato em 1925 e canonizado em 1930, juntamente com outros sete jesuítas, mártires entre 1622 e 1649. O santo jesuíta, que fora assassinado pelos iroqueses, apareceu para ela dizendo: “Era para ele um sofrimento ver que um país pelo qual ele tinha tanto trabalhado e onde havia derramado seu sangue, fosse agora terra de abominação e de impiedade” e prosseguiu: “Irmã de Santo Agostinho! Tendes piedade de nós? Ajudai-nos, eu vos peço!” Madre Catarina respondeu abandonando-se “à divina justiça, como uma vítima pública pelos pecados dos outros”.

 

Vitória contra os demônios

 

No mês de fevereiro de 1663, teve ainda visões do Padre Jean de Brébeuf que a fez compreender que Deus queria servir-se dela para proteger o país e todos que recorressem a ela receberiam uma ajuda segura.

O Beato Francisco de Laval, seu bispo, e a Beata Maria da Encarnação fizeram mais caso, no entanto, das suas virtudes sólidas do que dos “milagres e maravilhas”. Maria da Encarnação, quanto a ela, sentiu que “as graças que Deus lhe concedeu estavam baseadas nas três virtudes, humildade, caridade e paciência”.

Estas três virtudes, Catarina praticou-as a um verdadeiro grau heroico. Nunca, na verdade, ela sofreu tanto, especialmente por parte dos demônios, que não lhe deixavam qualquer descanso, torturando-a moralmente e batendo-lhe mesmo. Contudo, nunca saciada de sofrimentos, a humilde hospitaleira queria imolar-se sempre cada vez mais para a salvação das almas e o bem espiritual de seu país de adoção. Finalmente, consumida pela tísica, ela morreu em 8 de maio de 1668, com a idade de trinta e seis anos.

O Beato Francisco de Laval, para o qual Catarina de Santo Agostinho era “a alma mais santa que conhecera”, tinha “uma confiança muito especial” no seu poder, “porque, se ela nos socorreu tão poderosamente durante o tempo em que viveu entre nós, escreve ele, que não fará ela agora conhecendo com mais luminosidade as necessidades, seja do Pastor ou seja do rebanho?”

Madre Maria Catarina foi beatificada em Roma, pelo Papa São João Paulo II, no dia 23 de abril de 1989 e sua festa litúrgica é celebrada a 8 de maio.

 

Reflexão

 

Palavras do Papa São João Paulo II no dia de sua beatificação: “No segredo de sua alma estava escrito que sua vida foi doada como presente para Deus, para Cristo Redentor. Ela permaneceu unida ao Sagrado Coração de Jesus e deu toda a sua confiança no Sagrado Coração de Maria. O tormento doloroso das tentações não perturbava sua serenidade, nem enfraquecia uma experiência mística fora do comum. Mas seu sofrimento íntimo e escondido, ela aceitou para “tirar da miséria e do mal dos outros.” Na frente do pecado do homem, a sua resposta foi o sacrifício de si, em união com a Cruz do Salvador, para “conquistar os corações para Deus”.

Com um desejo missionário ardente, ela se juntou a suas irmãs no Canadá, um país que ela amava com toda a sua força. Uma apóstola incansável, ela foi generosa na realização das mais árduas tarefas e infinitamente paciente e hábil em curar os enfermos com o amor. Na primavera espiritual da Igreja no Canadá, podemos escrever nos nomes dos “fundadores” Maria Catarina, esta religiosa, cuja “mão e cujo coração era o amor””. Beata Maria Catarina de Santo Agostinho, rogai por nós. Amém!

 

Fonte:

 

http://heroinasdacristandade.blogspot.com.br/2014/05/beata-maria-catarina-de-santo-agostinho.html

http://www.vatican.va/holy_father/john_paul_ii/homilies/1989/documents/hf_jp-ii_hom_19890423_cinque-beati_it.html

Grifos nossos

  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: