Beata Maria Karlowska

Infância

Maria Karlowska é uma religiosa polaca nascida em 04 de setembro de 1865 no seio de uma família muito religiosa e numerosa — ela era a décima primeira filha do casal Mateusz Karlowska e Dembiñska Eugenia — nos territórios ocupados pela Prússia.

No batismo recebeu o nome de Maria. Quando seus pais venderam a fazenda da família, Maria foi viver com eles em Poznan, onde começou seus estudos na escola secundária para meninas católicas. Ficou órfã de seus pais quando tinha 17 anos, viajando pouco depois para Berlim no intuito de ali aprender o ofício de costureira. Naquela idade ela ainda não pensava tornar-se religiosa: ela precisava de trabalhar para ajudar seus irmãos e irmãs. Depois que seus pais morreram em 1882, prometeu viver em castidade durante toda a vida. Frequentou a escola de costura por um ano e fez um curso em Berlim. Após o treinamento, exerceu a sua profissão em Poznan, auxiliando a irmã mais velha, Wanda, como instrutora na escola de costura. Voltando para a terra natal, ali exerceu uma ação caridosa tornando-se uma verdadeira samaritana no meio das mulheres tocadas pela grande miséria social e moral.

Filha de pais educados, então acostumados com a vida de uma família nobre, embora agora decadente, Maria não tinha idéia da pobreza moral das mulheres, que praticavam a prostituição para ganhar a vida, quando começou a visitar os doentes e os pobres mais pobres das ruas da cidade. Era um imperativo interior que a levou a esses lugares onde a pobreza material foi associada com a prostituição.

Em Novembro de 1892, Maria encontrou pela primeira vez uma prostituta; este encontro foi decisivo para a sua vocação, porque a partir de então toda a sua energia seria concentrada nestas mulheres que Maria queria ajudar para que saissem do “buraco” onde voluntariamente ou involuntariamente se tinham precipitado, e de cortarem os laços que as retinham naquela vida. Exortava as mulheres à deixarem a vida pecaminosa e as preparavam para receberem os santos sacramentos.

Naquela época, a prostituição era tolerada pelas autoridades estaduais. Essas pessoas eram registradas e eram obrigadas a fazerem exames médicos regulares, para evitar a propagação de doenças venéreas.

A Fundação da Congregação

Depois de um ano e meio de apostolado, nas entradas de edifícios e terrenos, a desaprovação geral forçou a jovem a esconder suas atividades. Rejeitada até por membros da família, que consideravam desonroso sua preocupação com prostitutas.

O seu zelo no desempenho deste “ministério” difícil chamou ao seu redor outras mulheres com quem fundou a Congregação das Irmãs Servas do Bom Pastor e da Divina Providência. Para as irmãs e para ela mesma, ela já tinha estabelecido o seguinte objetivo: “Nós devemos anunciar o Coração de Jesus, quer dizer, viver Dele, Nele e por Ele, de maneira a nos tornarmos como Ele e nós devemos fazer de maneira que em nossas vidas, Ele se torne mais visível do que nós mesmas”. Com o tempo e a perseverança de todas as irmãs, este apostolado começou a dar bons resultados, e muitas dessas mulheres que a prostituição tinha colocado no fosso, começaram a levantar a cabeça e a navegar resolutamente pelo caminho certo. Algumas até se tornaram mães exemplares e outras tantas apóstolas junto daquelas que ainda estavam relutantes em voltar para trás.

Dons e carismas de uma verdadeira Mãe

Maria Karlowska tinha um dom carismático de ser capaz de guiar as almas. Ela sabia o que fazer para trazer as meninas ao caminho certo. Quando era necessário, para acalmar o comportamento das meninas, Maria era guiada pela bondade e paz. Quando fosse imprescindível assumir uma atitude de rigor, não hesitava em usar palavras duras e exigentes.  Uma vez dentro da psique das meninas, sabia o que cada uma delas teria que lutar contra a sua natureza degradada. Por esta razão, cercava-as com afeto, suportando pacientemente as explosões de seu temperamento, acalmando a impulsividade e impetuosidade com a doçura.  No plano dos trabalhos, a reabilitação ocupava o primeiro lugar ao lado de catequese.

Era necessário primeiro quebrar as suas suposições fundamentais sobre o trabalho físico, e então descobrir as habilidades latentes em cada menina, despertar seu interesse e dar-lhes um trabalho adequado às suas predisposições naturais.

De acordo com Maria Karlowska, a “santidade consiste em fazer coisas comuns de forma extraordinária, com carinho e dedicação… Tal santidade é oculta diante dos olhos humanos, presentes apenas nos olhos de Deus.”

Às suas irmãs, disse que “a santidade é uma cadeia cujos anéis são chamados de virtudes, e da ruptura de um, corre-se o risco de perder toda a cadeia.”

Maria Karlowska era muito inteligente, virtuosa, tinha o dom da iniciativa e uma extraordinária concentração e habilidade, mas ao mesmo tempo foi muito moderada e simples. Surpreendia a todos com sua vontade de ferro e sua grande diligência.

A essência espiritual da Congregação fundada por Maria Karlowska está em trabalhar com todas as forças pela salvação das almas, e, assim, constantemente a lutar para se identificar com o Bom Pastor. Por esta razão o Pastorelle (como são chamados os que fazem parte da Congregação), emitem um quarto voto, isto é, a conversão de almas.

Para atingir este objetivo, Maria Karlowska com as palavras, escritos, e especialmente por seu exemplo de vida, declarou a importância e a necessidade de todos viverem a virtude da castidade. Para ela, “temos de brilhar pela castidade imaculada,… devemos expressá-la com o bom caráter… em toda a sua perfeição… Essa virtude deve ser a base do nosso ministério… O Bom Pastor deve despertar neles o amor para com a virtude da castidade. “

Era uma alma da Igreja.

Ela agradecia a Deus pelas graças e favores resultantes da obediência total para com a Igreja: “A união com Deus e a Igreja é a minha força, segurança, esperança e toda a minha glória” – escreveu, exortando as Irmãs a viverem sempre fiel à Santa Igreja, porque a união com a Igreja encoraja a santidade pessoal.

De sua vida e dos seus escritos podemos perceber que ela foi uma alma contemplativa, de silêncio e oração. Orava muito e passava as noites sem dormir, orando incessantemente. Toda a sua confiança era depositada e colocada no Bom Pastor, confiando totalmente a Ele e somente a Ele as almas dedicadas. Ela amava a serenidade e o silêncio que a mantinha unida a Deus, porque “Deus fala de uma alma em silêncio”.

A oração para Maria Karlowska devia ser sempre sincera, ardente, incessante, insistente, e devia ter o objetivo principal para a salvação das almas.

A luta contra o pecado era uma expressão de seu compromisso com a santidade. Na sua opinião, não há verdadeira vida apostólica, sem a constante luta com o mal. Mesmo um pecado venial é um grande mal. Um sinal dessa luta é o sentimento de pesar que um deve ter para todos os pecados.

De sua vida interior vinha uma força e um extraordinário dom de saber como esconder seus sofrimentos físicos e morais com um sorriso e com o pleno auto-controle. Era cheia de amor e misericórdia para com toda a miséria espiritual e material, era verdadeira mestre de vida espiritual e exigia de si e dos outros uma autêntica santidade, cuja essência reside na função perfeita da vontade humana com a vontade e lei divina. Especialmente seus escritos oferecem um manual para o ensino sobre a conversão e progresso na vida espiritual.

Na atividade social com a qual tentou diminuir o mal e multiplicar o bem, ela descobriu o valor do trabalho de reabilitação, com uma rica pedagogia e desta forma, contribuiu para a moral de reeducação de mais de cinco mil meninas e mulheres.

O sistema educacional da Mãe Karlowska foi excepcional e foi baseada principalmente no exemplo que nos é oferecido por Jesus.

Os princípios educacionais das Irmãs do Bom Pastor foram: amor, misericórdia, paciência, humildade, obediência e oração.

O sistema educacional criado pela Mãe Karlowska enfatiza a liberdade e a boa vontade. Nenhum estudante teve de ser forçado a sermões ou práticas religiosas. Maria Karlowska disse: “Toda prática religiosa é um ato livre”.

Ela tinha o dom inato de educação e deu grande importância à confissão e comunhão.

Sua Congregação das Irmãs do Bom Pastor foi totalmente orientada para a salvação das almas, especialmente das meninas e mulheres que estavam perdidas e sofrendo de doenças venéreas.

Tanto as autoridades eclesiásticas, como as governamentais, manifestaram a sua admiração pelo sucesso e bons resultados do instituto educacional na reabilitação das meninas que eram consideradas um flagelo e uma vergonha para a sociedade polonesa. Maria Karlowska foi capaz de alterar nestas criaturas caídas e humilhadas, sua dignidade, porque em cada uma delas via a imagem de Deus, uma filha amada de Deus, que, querendo, elas ainda poderiam se redimir.

Maria Karlowska descobriu uma grande verdade que até mesmo as almas mais depravadas podem ser, apesar de tudo, ainda sensíveis à beleza, a bondade e a caridade.

Ela viveu uma vida de profunda fé e prática. Todas as testemunhas afirmam que sua fé foi profundamente enraizada e isso, expressa-se em seu trabalho. Em tudo estava trabalhando para a glória de Deus, mas também espalhou sua fé no caminho da oração e conversa.

A partir dessa fé profunda nela fluiu bem a virtude da esperança. Confiava em Deus em cada momento da vida, mas acima de tudo sabia confiar em Deus nas dificuldades encontradas na Congregação. A providência de Deus era o fundamento da sua esperança, e uma característica predominante em sua Congregação chamada Irmãs do Divino Pastor da Divina Providência.

O amor a Deus é sempre o resultado da experiência íntima de seu relacionamento com Ele. As testemunhas dizem que Maria Karlowska, amava a Deus sobre todas as coisas, e que essa virtude era realmente a virtude dominante em sua vida e iluminava seu modo de agir e falar. O amor de Deus foi o motivo pelo qual, ela ainda muito jovem emitisse o voto de castidade e pela mesma razão, fundasse a Congregação. Este amor encontra a sua plena expressão em fazer a Vontade de Deus em tudo e sempre e que lhe é submetido a qualquer momento.

A Vontade de Deus sempre foi a vontade da Serva de Deus, para que ele aceite as cruzes da vida e agradeceu a Deus pelo sofrimento. Para ela só o pecado foi o maior mal, e assim ela odiava todo o pecado porque ele ofende o amor de Deus. Por amor a Deus ela queria converter todos os pecadores. Para este fim, ela orou muito e fazia penitências prolongadas. Ela trabalhou muito para a conversão dos pecadores, e reconciliou muitas famílias separadas.

O amor de Deus é inseparável do amor ao próximo. Testemunhas enfatizaram o fato de que a Serva de Deus tinha um amor sobrenatural para com todos, e exercia em um grau mais eminente. O amor ao próximo foi o principal motivo para todas as suas atividades de apostolado. Ela não admitia discriminação, comprometendo-se a amar cada pessoa. Raramente repreendia os alunos e sempre com caridade, seu amor demonstrava um método muito eficaz na formação e educação dos alunos. A Serva de Deus sempre manifestou um grande amor para a congregação e também para com a Polônia.

A devoção de Maria ao Sagrado Coração do Salvador despertou nela uma dedicação aos homens e um amor que nunca diz “Chega”. Foi tudo em todos, e através do amor e do movimento do Espírito Santo, ela restaurou a luz de Cristo em muitos corações e os ajudou a recuperar a sua dignidade perdida.

Com cerca de setenta anos, ela entregou a sua alma a Deus em 24 de março de 1935, deixando para a posteridade uma obra reconhecida, foi duma grande ajuda para a Igreja na Polónia e países vizinhos.

Ela foi beatificada a 6 de Junho de 1997 em Zakopane (Polónia) por seu compatriota o Beato Papa João Paulo II.

Reflexão

Segundo seu conterrâneo, o Grande Beato João Paulo II, na homilia de sua beatificação, Beata Maria Karlowska “era como que enlevada pela corrente do amor do divino Paráclito. Graças a este amor restituiu a muitas almas a luz de Cristo e ajudou-as a readquirir a dignidade perdida. Sentia uma insaciável fome de amor. Quanta necessidade tem dele o mundo de hoje, a nossa geração! Como é grande a necessidade desta sensibilidade feminina nas coisas de Deus e dos homens, a fim de que as nossas famílias e a sociedade inteira sejam repletas de calor cordial, de benevolência, de paz e de alegria! Para que o mundo de hoje aprecie o valor da vida, da responsabilidade, da fidelidade; para que conserve o respeito pela dignidade humana”! Que essa alma exemplar nos interceda no céu para que sejamos luzes irradiantes de amor ao nosso próximo, nesse mundo onde anda tão ausente essa virtude. Beata Maria Karlowska, rogai por nós. Amém

Fonte:

www.paginecattoliche.it

http://it.cathopedia.org/wiki/Beata_Maria_Karlowska

Grifos Nossos

Anúncios
  1. 05/08/2013 às 5:46

    I know this web page presents quality based content and extra data, is there any other website which gives
    such data in quality?

  2. 18/08/2013 às 7:20

    Hurrah! At last I got a weblog from where I be able to really obtain useful data regarding my study and knowledge.

  3. 30/08/2013 às 1:22

    This post is truly a good one it assists new internet people,
    who are wishing in favor of blogging.

  4. 30/08/2013 às 20:53

    Hello to every one, it’s actually a good for me to go to see
    this web site, it contains precious Information.

  5. 30/08/2013 às 21:48

    First of all I would like to say superb blog! I had a quick question in which I’d like to ask if you do not mind.

    I was interested to know how you center yourself and clear your mind prior to writing.

    I’ve had a hard time clearing my thoughts in getting my ideas out there.
    I do take pleasure in writing but it just seems like the
    first 10 to 15 minutes are lost just trying
    to figure out how to begin. Any recommendations or hints?
    Cheers!

  6. 11/09/2013 às 3:27

    Attractive component to content. I just stumbled upon your blog and in accession capital to assert that I get actually enjoyed account your
    weblog posts. Anyway I’ll be subscribing on your feeds or even I achievement you get right of entry to constantly quickly.

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: